Guru Rinpoche

Guru Rinpoche é considerado o Segundo Buddha de nosso tempo. O primeiro Buddha de nossa era foi Shakyamuni (Nascido em 952 a.C e Falecido em 872 a.C). Antes de passar para o parinirvana, Buddha Shakyamuni predisse a vinda de Guru Rinpoche e que ele ensinaria o caminho Vajrayana no reino humano. Mais tarde, no ano profetizado, Guru Rinpoche nasceu (864 a.C) na região de Uddiyana, no noroeste da Índia, dentro de uma flor de lótus que surgiu de cinco arco-íris emanados do meio da língua do Buda Amithaba.

A vida de Guru Rinpoche é repleta de histórias incríveis. Ele foi um mestre iogue e manifestou oito emanações para executar várias formas de atividades, de maneira a beneficiar os seres, subjugar entidades negativas e atá-las a juramento. Suas habilidades e poderes mágicos eram incomparáveis. Ele subjugou seres negativos e os atou a juramento para beneficiar a eles mesmos e a todos os outros seres. Debates travados com Guru Rinpoche sempre eram vencidos, com os perdedores realizando os seus erros e frequentemente se convertendo ao Budismo no final.

Guru Rinpoche trouxe o Budismo Vajrayana da Índia para o Tibete, quando do convite do então rei dhármico tibetano Tritsong Detsen, no ano de 814. O rei teve a aspiração de construir uma grande Terra Pura budista próximo a Lhasa, mas durante todas as noites seres negativos destruíam a construção elaborada durante o dia. Guru Rinpoche, um renomado e poderoso iogue, foi chamado para subjugar esses espíritos e forças negativas. Em sua sabedoria, Guru Rinpoche realizou que mensageiros estavam vindo ao seu encontro com oferendas e o convite para ele ir ao Tibete. Dessa maneira, Guru Rinpoche foi para a fronteira entre o Tibete e o Nepal para esperá-los. Após aceitar o convite, ele aconselhou a comitiva a retornar ao Tibete de imediato, uma vez que jornada dos anfitriões, por meio de caminhada, levaria muito mais tempo do que a jornada de Guru Rinpoche, pois ele voaria até o seu destino. Então, em seu caminho até Lhasa, ele subjugou e atou por juramento muitos seres negativos.

Após a consumação do juramento de todas as deidades locais, elas se colocaram à disposição de Guru Rinpoche. Assim, o suntuoso palácio de Samye foi construído com extraordinária velocidade, uma vez que os humanos o construíam durante o dia e os espíritos locais o construíam durante a noite. Mais tarde, Guru Rinpoche ensinou ao Rei e ao seu séquito próximo, os vinte e cinco discípulos de Guru Rinpoche. É desse modo que se iniciou a difusão dos ensinamentos Vajrayana no Tibete, o grande veículo do Mantra Secreto Vajrayana.

Durante o período em que Guru Rinpoche esteve em Lhasa, ele reconheceu um jovem garoto tibetano como a reencarnação do melhor aluno de Buddha Shakyamuni, Kungawo. O rei patrocinou o treinamento dele e o garoto tornou-se Vairocana, o grande tradutor. Liderado por Guru Rinpoche, Vairocana, outros discípulos tibetanos e alguns Panditas da Índia traduziram a coleção budista inteira (tantras, sutras e mantras) do Sânscrito para o Tibetano. Mais tarde, Vairocana viajou para o Kham e estabeleceu o primeiro centro de retiros que por fim se tornou o primeiro mosteiro no Tibete, o mosteiro de Kathok. A Universidade de Kathok é famosa como uma das mais importantes instituições de ensino da linhagem Nyingma e é, inclusive, a instituição de treinamento dos Mestres Dzogchen Kathok Rigdzin Duddul Dorje e Rigdzin Longsal Nyingpo, os quais são ambos reveladores de tesouros e as fontes das principais práticas de Kathok.

No ano de 864, Guru Rinpoche sentiu que precisava subjugar seres no reino dos canibais. Ele partiu do reino humano para o reino dos canibais e agora reside lá em sua Terra Pura da “Montanha Cor de Cobre”.

É importante rezar para Guru Rinpoche durante esta época de degenerescência atual. Guru Rinpoche predisse este declínio e nos concedeu muitas maneiras de suplicar por seu auxílio. Ele tem o poder de nos ajudar durante esse tempo de negatividade, o poder de nos ajudar a combater as nossas aflições emocionais, negatividades internas e externas, o poder de subjugar negatividades e evitar desastres.

Uma dessas preciosas orações é a Sampa L’hundrup – O Laço de Luz da Compaixão. Essa prece veio como um tesouro na mente de Maha Siddha Djalü Dodje.